Open Close
paulicon

ANTT discute o modelo das concessões

concessão de estradasCerca de 40 pessoas participaram da primeira de uma série de audiências públicas realizadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para tratar das concessões de sete grandes rodovias do país, entre elas a BR-262. O encontro, que aconteceu ontem em Belo Horizonte, vai passar ainda por outras sete capitais.

A entidade apresentou o edital e os estudos de viabilidade técnica e econômica das concessões e recebeu críticas e sugestões sobre os projetos. Desde o dia 9 de janeiro, e até o dia 25, o site da ANTT recebe contribuições públicas sobre os planos. Ao final desse período, algumas sugestões poderão ser incluídas definitivamente nos editais.

De acordo com a ANTT, os projetos possuem uma taxa interna de retorno de 5,5% ao ano. O valor total de investimentos previstos nas sete rodovias é de R$ 31,7 bilhões.

Minas – Na BR-262, que liga Minas Gerais ao Espírito Santo, está prevista a recuperação e manutenção de um trecho de 376 quilômetros, com início no município de Viana, no Espírito Santo, e que vai até João Monlevade, no entroncamento com a BR-381. No trecho, seriam instalados cinco postos de pedágio, com preços que iriam de R$ 5,10 a R$ 6,70. Na BR-050, entre Minas e Goiás, será concedido um trecho de 425 quilômetros entre Cristalina, em Goiás, e Delta, na divisa com São Paulo, cortando outras três cidades do Estado. Os seis postos de pedágio terão preços entre R$ 2,90 e R$ 4,80.
As BRs 060,153 e 262, que passam por Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais, terão concessão de um trecho total de 1.176 quilômetros. Apenas em Minas Gerais, serão cortados 32 municípios. O investimento nesse trecho será de R$ 6,12 bilhões. Serão 11 postos de pedágio, com cobranças entre R$ 2,40 e R$ 4,60.

O pedágio só poderá ser cobrado após a conclusão de ao menos 10% das obras de duplicação e o investidor terá um prazo de cinco anos após a concessão para concluir a duplicação. A concessão vale por 25 anos.

Fonte: 16/1/2013 – O Tempo – MG

Ainda não há comentário.

Publique o seu comentário

Comment form

Todos os campos marcados (*) são obrigatórios.